Biomedicina e Reprodução Humana



A Reprodução Humana Assistida é um conjunto de técnicas que tem como principal objetivo tentar viabilizar a gestação em mulheres com dificuldades de engravidar. Muitas vezes essas dificuldades, até mesmo a infertilidade do casal ou um de seus membros, podem trazer sérios prejuízos ao relacionamento conjugal.

O Biomédico especializado nessa área poderá:

Atuar em Identificação e Classificação oocitária: O líquido folicular é recebido e aliquotado em placas de Petri onde, sob visão microscópica os oócitos são identificados e classificados quanto à sua maturidade.

Processamento Seminal: O sêmen coletado após período de liquefação, é avaliado quanto às suas características biofísicas e passa então por técnica de processamento com a associação de lavagens, centrifugações e migrações, em meios específicos, que visam a separação do plasma seminal e a seleção dos espermatozóides mais móveis e capazes para a inseminação dos oócitos.

Espermograma: O espermograma possibilita a obtenção de dados relativos a quantidade e qualidade dos espermatozóides; mesmo um espermograma normal não é garantia de fertilidade do homem.

Criopreservação Seminal: A Criopreservação Seminal tem o objetivo garantir a fertilidade de homens que irão se submeter a procedimentos que possam prejudicar a sua capacidade fértil, para estes casos existem os chamados bancos de sêmen. A criopreservação seminal ganhou importância nos tratamentos de reprodução assistida a partir da descoberta dos agentes crioprotetores. Os crioprotetores têm a função de evitar danos celulares causados pelo processo de criopreservação e descongelamento, que são a desidratação e a formação de cristais de gelo intracelular. O congelamento na maioria das vezes é realizado a partir do sêmen ejaculado, mas também podem ser congelados espermatozóides provenientes diretamente do epidídimo ou do testículo.


Classificação embrionária: Os embriões são classificados pela aparência ao microscópio quanto ao número de células, características das células e presença ou ausência de fragmentação. Embrião de boa qualidade se divide rapidamente, as células são simétricas , com citoplasma claro e pouca fragmentação. 

Criopreservação Embrionária: Conglamento do embrião. Semelhante à Criopreservação Seminal.

Biópsia Embrionária: Este procedimento implica na retirada de uma única célula do embrião (biópsia) "in vitro", no seu terceiro dia de desenvolvimento, onde ele se apresenta com seis a oito células. A biópsia possibilita análise genética, sem prejudicar o desenvolvimento posterior deste embrião.

Hatching: O Assisted Hatching é uma técnica laboratorial que ajuda na fragilização da zona pelúcida, permitindo que o embrião possa implantar-se com mais facilidade no útero. Este tratamento é realizado no laboratório, antes da transferência para o útero da mulher.

Atuar em Embriologia: Realizar a manipulação de gametas (oócitos e espermatozóides) e pré-embriões.
Brunno Câmara Biomédico

Biomédico Residente em Hematologia e Hemoterapia no Hospital das Clínicas - UFG (HC-UFG). Criador e administrador do blog Biomedicina Padrão. Colunista do portal LabNetwork.

Posts relacionados

Reprodução Humana 4971974478921634765

Publicidade

Facebook

Vagas

Top 3

camisetas

Parceiros

Newsletter

Receba as novidades no seu e-mail:

Arquivo

Pessoas online

Visualizações de página

grupo biomedicina Padrão

Top Blog

item